Leste Europeu: o que conhecer?

Quando fala-se de Europa, o Leste do continente é um dos destinos mais cobiçados por brasileiros. Além de suas belezas naturais, históricas e culturais, é um dos locais mais acessíveis e com custos que costumam ser comparados a qualquer outro lugar dentro do Brasil! 

Praga, República Tcheca: está entre um dos destinos mais cobiçados por brasileiros no exterior. A cidade de Praga, que é a capital, é destaque e está em uma das preferidas dos brasileiros. Por lá, a moeda utilizada é a “Czech Koruna”, enquanto a média de gastos por dia gira em torno de R$110,00 a R$140,00. Quando comparada a outras cidades, é considerada pequena em extensão.

Justamente por esse motivo, não é necessário percorrer grandes distâncias para conhecer as principais atrações turísticas, já que a maioria delas estão concentrados em uma mesma região. O idioma oficial na República Tcheca é o tcheco, mas os turistas que dominam a língua inglesa ou alemã não costumam passar “sufoco”.

Segundo viajantes, os períodos mais agradáveis para “turistar” estão entre o final da primavera e início do outono. Nos meses de julho e agosto, período de verão europeu, as temperaturas médias ficam na faixa de 18°C e os preços sobem.

Caso você seja um dos amantes de frio, vá entre os meses de dezembro e fevereiro. Mas lembre-se que as temperaturas podem chegar a ser abaixo de 0°C. Quanto à moeda utilizada, não é o euro. Mas sim a Koruna! Alguns estabelecimentos aceitam euro, mas é bom não contar com isso. 

Budapeste, Hungria: quando comparada à cidade de Praga, é ainda mais barata. A média de gastos por dia varia entre R$110,00 e R$140,00. Budapeste é responsável por causar um fascínio único aos visitantes, sobretudo devido às inúmeras atrações como monumentos, museus, parques, programações ao ar livre e afins. Não é em vão que os viajantes de plantão a candidataram como uma das melhores gastronomias locais, pontos turísticos interessantes e essenciais à visita.

O local é atravessado pelo Rio Danúbio e dividido entre as regiões Buda e Peste, que são os dois principais bairros. A parte mais agitada está em Buda, com diversas opções de restaurantes, bares e ruas repletas de lojinhas. Do outro lado do rio encontra-se “Peste”, onde é possível encontrar construções mais recentes e é inclusive onde vive a maior parte da população. Somente no século XIX é que houve a unificação das duas antigas cidades, que hoje forma “Budapeste”. 

Viena, Áustria: junto com Praga e Budapeste, está presente em quase todos os roteiros para o Leste Europeu. A cidade de Viena oferece uma gama enorme de programações como museus, parques com grandes extensões de área verde, galerias de arte e cultura, monumentos, palácios, restaurantes, bares, vida noturna e afins.

A cidade é encantadora, clássica e atrai diversos turistas todos os anos. Grandes nomes como Mozart, viveram ali. Se possível, não deixe de visitar: Catedral de São Estevão, Palácio de Belvedere, Palácio Hofburg, Igreja de São Carlos Borromeu, Museu Kunsthistorisches, Ópera Nacional de Viena, Hundertwasser, Palácio Schönbrunn, entre outros. 

Bruxelas, Bélgica: a atual capital da Bélgica – Bruxelas – é uma das cidades mais antigas da Europa, estabelecida por volta do ano de 580. Trata-se de um local repleto de diversidades, começando pelos idiomas, que se misturam entre francês, holandês e alemão, além de traços de diferentes culturas por causa da quantidade de imigrantes.

A cidade de Bruxelas tem sido um importante pólo econômico e político, principalmente por abrigar organizações fundamentais para a política do cenário internacional. Não deixe de visitar: Igreja Notre-Dame Du Sablon, Palácio Real de Bruxelas, Parc du Cinquantenaire, Atomium, Place Du Grand Sablon, Catedral de São Miguel e Santa Gudula, entre outros. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *